Quem Escreve

FOTOS

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

À Conversa com Ana Filipa





1. Fala-me da Ana.
A Ana é uma pessoa estranha. Teve uma infância normal e nunca me deixaram cair em bebé por isso não existe justificação para ser completamente doida. Mas acho que aos poucos foi havendo um prenúncio que eu seria assim, sempre fui um pouco diferente e estranha, mas extremamente tímida e nem sempre consegui ser eu mesma até ter saído da faculdade. Sou licenciada em Línguas, Literaturas e Culturas alemão e inglês e tenho mestrado em Ensino.... yup deixaram-me lidar com crianças. Já fui beauty advisor, já dei aula, já geri um hotel. Tenho uma gata linda e maravilhosa de um aninho e um marido com paciência do universo. Se eu consegui meninas, vocês também conseguem atrair uma espécime para vocês.

2. Que te faz sorrir?
A minha gata todos os dias quando acordo com ela em cima de mim. 3 quilos de banha em cima do meu torax ou do estômago. Comer bem.

3. Que te deixa realmente triste?
A Ruiva não fica triste: ou está feliz ou está completamente furiosa a querer um novo dilúvio. Por norma são estes dois moods.


4. Que objetivos desejas alcançar na tua vida?
Ser rica porque linda já eu sou. Estou a brincar como é óbvio eu sou uma rica moçoila. Gostava imenso de seguir o meu sonho de dar de frosques daqui. Gosto muito de Portugal, atenção, mas há tantos lugares para explorar e onde se está tão bem. O barulho da cidade, a poluição exagerada, o stress de andar de um lado para o outro.

5. Citação favorita.
Não tenho grandes citações em mente até porque raramente sigo o que as pessoas dizem. Mas houve uma de Oscar Wilde aos 18 anos que me ficou na mente quando estudei “The Importance of Being Earnest” - All women become like their mothers. That is their tragedy. No man does, and that is his.”


6. Comida preferida.
Bacalhau. Quando regressamos a Portugal de férias como sempre bacalhau.

7. Filme preferido.
É estranho mas tenho dois e são os dois de animação: Brave e o Inside out. O Inside Out por motivos óbvios de animação e storybuilding fenomenal. Não é um filme para crianças per se, aliás até acho que a criançada não entende muita coisa do que acontece ali. Mas é giro adultos terem filmes de animação.

 

8- Livro preferido.
Ora bem eu já li tantos livros que isso era escolher entre os filhos... Não tenho apenas um, tenho imensos.

9. Musica preferida.
Não tenho grandes musicas que me prendem mas tenho um gosto particular pela Metropolis Pt1 de Dream Theater.


10. Tua fotografia preferida.
Sempre que estou em baixo olho para esta foto. Ela é a fofura da minha fofura.


11. Fotografia do teu local preferido.
A minha cidade é o meu local favorito. O Porto é uma nação, é uma forma de viver, é uma forma de estar. O Porto vive-se e sente-se. Nada me causa maior tristeza do que ver uma padaria fechar para abrir um Starbucks. Foi das coisas que menos gostei nos EUA. Falta de identidade nas lojas - ou era um Starbucks ou outra chain de cafés. Não quero que a pessoa que me atenda seja um hipster que só quer saber dos turistas que vão beber vinho de 20€, quero a D. Felisbina que gesticula números e tenta falar inglês mas sabe fazer uns rissoizinhos daqui ou uns ricos panados.

E quem diz que o nosso metro nao é metro porque não é debaixo da terra, cá a gente sabe o que é bom e não somos ratos para andar debaixo da terra ó faxabor. Vitamina D na fuça é que é bom (com protector 50+)!

Por isso a minha cidade é a maior (agora os salários e as rendas é que podiam não ser maiores essa parte escusava).


12. Fotografia de um momento que tenhas adorado viver.
O meu casamento claro! Juntei todos que amo, o bolo caiu, a Ruiva só se deitou às 5 da manhã e nem sentia os pés. Chorou que nem uma doida no dia seguinte ao ler as mensagens que tinham deixado e pronto. Comi, bebi, dancei e tivemos quase todos um cravo na mão.




13. O teu blog é o “llusionary Pleasure”. Qual a história por detrás do nome do blog?
Tem uma sonoridade bonita... estava a fazer brainstorm de nomes e depois escrevi este e não sei, tem uma musicalidade engraçada. Ficou no ouvido e nunca mais mudei. Não significa nada de especial mas de certa forma esse vazio no sentimento e o facto de ser tudo forma e sonoridade.

14. Como e quando surgiu a ideia de criar o blog?
Era jovem e tinha muito tempo livre. Havia poucos blogues na altura de literatura e de críticas de livros. Gostava de ter um espaço mais sério onde se falasse dos livros e fosse uma opinião honesta. Não sei como anda a coisa agora mas sei que na altura dizer mal de um livro não era possível. Se dissesses que um livro era mau ou que tinha falhas era porque eras má pessoa, cruel. É uma das coisas que gosto na área da beleza, apesar de ser na mesma subjectivo ninguém leva a peito se eu disser que um produto me fez alergia.


15. Como divulgas o blog?
Agora por acaso tenho falhado bastante. Mas no meu tempo o Facebook ajudava imenso, especialmente os passatempos. Agora não tenho tido muito tempo, Agosto e Outubro são os piores meses para ter tempo para mim, mas queria voltar a escrever mais e divulgar.

16. Ser blogger tem muitas coisas boas, mas também trás uma parte menos boa. Como comentas esta afirmação.
Temos uma enorme responsabilidade social para com a nossa figura de blogger. Cada vez menos gostaria de ser Youtuber. É tudo na verdade uma ilusão. Nunca podes ser honesto, eu digo que ninguém pode ser má pessoa agora que leva logo com pessoal em cima a criticar. Se não criticas uma empresa é porque és lambe botas se criticas é porque nunca gostas de nada. Para mim ser blogger é ser honesto e se achamos que todos somos pessoas altamente estamos muito enganados. Eu não quero saber se a blogger X apoia a empresa Y ou Z. Se os posts forem honestos se ela achar MESMO que o produto é bom... eu estou-me a marimbar se ela é rica, se apoia a marca XPTO. As pessoas complicam e querem viver numa utopia estranha onde todos são fofinhos e amorosos.


17. Interages muito com os teus seguidores nas Redes Sociais? Qual usas com mais frequência?
Antes de vir para Portugal da Polónia interagia imenso pelo Facebook, agora é maioria silêncio. Não tenho grande tempo para estar na página do Facebook a meter posts que incitem a participação, mas comecei o meu novo emprego nem há 1 mês por isso estou num período de transição.

18. O blog mudou a tua vida? De que forma?
Eu cresci imenso durante os anos do meu blogue, eu era uma miuda quando comecei. Aprendi a ser eu própria e aprendi o que era ser eu própria. Aprendi que não devia de pedir desculpa e aprendi que ás vezes o melhor é estar calada. Aprendi a ser a Ruiva.

19. Qual a melhor experiencia que tiveste enquanto blogger?
Disseram-me uma vez que tinham medo quando eu começava a ler os livros de alguns autores portugueses. Eu ainda penso que há moçoilos e moçoilas que se deviam de dedicar à pesca em vez de escrever um livro, mas que fazer? Acho que ainda somos muito egoístas e queremos escrever um livro porque sim... É como ter filhos: porque não? Tudo se cria.

20. Qual a tua opinião sobre a blogosfera?
Mista. Por um lado tenho tão pouco contacto com a blogosfera de beleza que a única coisa que eu detesto... ok 2 coisas: 1º gente coloquem a porra dos ingredientes nos posts!!!! Para pessoas como eu que têm pele super sensível ajuda imenso. Depois coloquem quando os produtos são fornecidos pelas marcas. Honestidade para com os vossos leitores acima de tudo!
Also não tenho tempo nem paciência para andar na rua e a tirar fotos a tudo. Não sei se é de eu ser de uma geração (lol) que comia e não tirava fotos mas a sério não nasci para ser Instagramer ou fotografa de caganitas de pássaros. É mesmo raro eu tirar foto a comida intacta ou na francesinha já provei o molho, ou já comi batatas ou já dei uma trinca em churros.

Quando á blogosfera literária já esteve melhor. Temos pouco tempo, as vidas mudam.


21. Qual a tua relação com outras bloggers?
Ainda me dou maioritariamente com bloggers de literatura. São amizades de anos e eu só me estreei na beleza há 1 ano (mais coisa menos coisa). Adoro de coração a Vera Brandão das Meninas dos Policiais, a Titinha é das minhas melhores amigas nos cabelos e nos livros, a Mafalda Férias do Algodão Doce para o Cérebro, a Vera Carregueira que deu na loucura de me deixar ajudar no blogue dela. Elas entretanto vieram algumas para o lado da beleza (sou uma péssima influencia), mas são pessoas que conheço há 8 anos. A Joana Cardoso do Paper&Ink que eu já conhecia há mais anos mas que fotografou o meu casamento e foi impecável. Na área da beleza é estranho porque eu sigo o teu blogue, o da Sandra Matias e o Youtube da Tânia Argent com regularidade, depois leio ocasionalmente o Essências e outros que entretanto vão surgindo e eu participo bem mais em grupos de Facebook do que nas páginas das pessoas ou no blogue (eu sei, eu sei, má Ruiva!!).


22. Que dicas ou conselhos darias a quem está a pensar criar um blog?
Dá trabalho, é preciso esforço e preparem-se porque as pessoas são cruéis. E se não gostarem vão-se remeter ao silêncio e a ignorar-vos. Be yourself, porque sinceramente eu leio os blogues para ler opiniões e ver a personalidade da pessoa. Não tentem ser “trendy” ou “imitar” o estilo de outra pessoa, não vale a pena. Sejam vocês, criem o conteúdo que vocês gostem e tentem o vosso melhor... boa sorte!

23. Deixa uma mensagem para todos os que vão ler esta entrevista.
Chegaram ao fim? Não acredito! Merecem então uma palavra amiga e de conforto depois de sobreviverem a tantas linhas - não sei se ficaram a conhecer um bocado a Ruiva, mas ela é uma pessoa interessante que a poucas semanas os 30 ainda está a coçar a cabeça do que está a fazer e para onde vai (digam todos juntos San Francisco)! Espero não vos ter maçado muito com a minha vida banal e pacata de moça com demasiados interesses e muito pouco tempo livre. Espero get my shit together e que possa terminar todos os meus projectos para dedicar o meu tempo livre ao meu blogue e à minha página de IG porque essa também fica um pouco abandonada. ️
Facebook: https://www.facebook.com/illusionaryblog/
Instagram@adeselnadavies - sigam-me lá que há montes de gatos!


A Ana foi a menina que me indicou o melhor livro sobre o novo acordo ortográfico. Confesso que só me rendi a ele porque tenho um filho na primária e teve mesmo que ser. No entanto, é também a menina que me deixa muita vezes "o que é que ela disse? (quando mete umas palavras em Inglês no meio da conversa) Ana, agora em português por favor" 
😂😂😂
Fiquei muito feliz por ter aceite esta conversa. A Ana é muito transparente mas ao mesmo tempo muito diferente e a sua diferença marca-nos.
"Obrigada querida Ruiva por teres aceite este desafio e por esta conversa
tão tua e especial aqui no blog."
💙💛💜

Que acharam desta maravilhosa conversa?
E desta maravilhosa Blogger?

BeijinhoBom

2 comentários:

  1. Não conhecia mas é "cá das nossas"! 😁

    ResponderEliminar
  2. Adorei. Temos muito em comum. Muitos parabéns por seres a pessoa que és. Beijinhos

    ResponderEliminar

Deixa o teu comentário. É muito importante para mim saber a tua opinião.
BeijinhoBom*